Cogito, 4.

O Sofrer Sofrer, descer às profundezas da alma, sorver lentamente, gole após gole o fel amargo do ser consciente. Os judeus-cristãos acreditam que através do sofrimento o homem se torna melhor, aproxima-se da divindade, purifica-se. Blasfemos, que logro nos impingem desde a mais tenra idade. Sofrer jamais tornou alguém melhor, tão e simplesmente mais profundo, da profundidade do poço escuro da alma inquieta.

O Julgar O rio Lete de nossa existência é sempre turbulento, complexo e confuso. O que nos permite entrar na barca onde nossa alma se sufoca e participar de nosso próprio julgamento? Pois julgamos todo o tempo, a tudo e a todos, pois ao julgar nos absolvemos. Somente acusando calamos a consciência acusadora. Assim nos satisfazemos.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O fascismo verde-amarelo e o Marquês de Sade.

Nós, homens dos séculos XX e XXI, temos o direito de nos surpreender com o cinismo e a maldade metafísica de Sade? Quem elege o fascismo degenerado, que propaga a intolerância e o desprezo pelos desig

Os nazistas e a resistência: o gueto de Varsóvia.

Foram as Cruzadas que, em nome de Deus, se predispuseram a matar todos os judeus da Europa. Os massacres se tornaram tão sangrentos que, bando após bando, os judeus se foram agrupando no recém-criado

Espaço Literário

Marcel Proust

Redes sociais

  • White Facebook Icon

© 2020 por Carlos Russo Jr.

Todos os direitos reservados